Conheça o Baía Sul Centro Médico

O Baía Sul Centro Médico é um consultório com aproximadamente 19 especialidades clínicas, que oferece cuidado completo, do acompanhamento ambulatorial ao desfecho clínico. Com uma estrutura integrada ao Hospital Baía Sul e à Clínica Imagem, localiza-se no 3º andar do bloco A e têm 4 amplos consultórios com uma sala para pequenos procedimentos. Estamos sempre preparados para acolher você e dedicar todos os cuidados que sua saúde merece, com conforto, agilidade e segurança. No Baía Sul Centro Médico você encontra um corpo clínico formado por médicos do próprio Hospital Baía Sul. Veja abaixo quais as nossas especialidades: Bucomaxilo Dr. Jonathas Daniel Paggi Claus (CRO 7964) Cabeça e Pescoço Dr. Acklei Viana (CRM 11656) Cardiologia Dr. João Pedro de Oliveira Vianna (CRM 21995) Cirurgia Geral Dr. Eden Edimur Rossi Junior (CRM 6105) Dr. Nicholas Tavares Kruel (CRM 15636) Cirurgia Geral, Aparelho Digestivo e Bariátrica Dr. Rodrigo Padilha Tomba (CRM 24140) Cirurgia Geral e Cancerologia Dra. Karine Perin Fernandes (CRM 13874) Cirurgia Geral e Clínica Geral Dra. Luiza Tonello (CRM 20737) Cirurgia Geral e Pequenos Procedimentos Dr. George Herbert Jones Santos (CRM 24481) Dr. Marcelo Borgonovo Santos (CRM 21275) Dr. Nicolau Fernandes Kruel (CRM 951) Dr. Victor Fabricio de Moraes Rosset (CRM 18108) Dr. Wilmar de Athayde Gerent (CRM 2615) Cirurgia Torácica Dr. Daniel Di Pietro (CRM 5314) Dr. Maurício Pimentel (CRM 19059) Clínica Médica Dra. Amanda Pereira Sequinel (CRM 23776) Dra. Liliane David Cardoso (CRM 16025) Coloproctologia Dra. Janaína Wercka (CRM 17776) Dermatologia Dra. Angélica Seidel (CRM 25122) Endocrinologia Dra. Fernanda Augustini Rigon (CRM 18516) Dra. Priscila Ap. Martins Goulart (CRM 15663) Fonoaudiologia Especializada Dra. Denise de Souza Carvalho (CRM 8661) Mastologia Dra. Clarissa S. Ferreira Amaral (CRM 24264) Neurologia Dra. Gabriela Baron (CRM23829) Dr. Rafael Gustavo Sato Watanabe (CRM 24868) Ortopedia Geral Dra. Maria Elisa da Silva Oliveira (CRM 20753) Ortopedia - Joelho e Medicina Esportiva Dr. Cássio Alves Konrath (CRM 19344)} Ortopedia - Mão Dr. Lucas Delunardo Acerbi (CRM 28636) Ortopedia - Pé e Tornozelo Dr. Pedro Silva Kanan (CRM 19658) Pneumologia Dra. Patrícia Luise Costa de Freitas (CRM 22305) Reumatologia Dra. Luiza Bueno Zeni (CRM 20741) Urologia Dr. Flávio Vieira Moraes (CRM 11872) Dr. Gabriel Slongo dos Santos (CRM 16767) Dr. Marcelo Schneider Goulart (CRM 16744) Dr. Paulo Amaral (CRM 23687) Estes são os planos atendidos pelo Baía Sul Centro Médico: Assistravel, Base Aérea de Florianópolis, Bradesco Saúde, Cassi, CCG Saúde, Celos, Fusex, Geap Saúde, LifeDay Saúde, Life Empresarial, Marinha do Brasil, Premium Saúde, Saúde Caixa, Unimed e Particular. BRADESCO SAÚDE - Somente Especialidades: Bucomaxilo, Cirurgia Geral, Clínica Médica, Mastologia, Neurocirurgia, Oropedia e Urologia. UNIMED: Verificar médicos cooperados. Acreditamos que humanizar o atendimento é mais que nos colocarmos no lugar do outro: é colocar a vida no centro de tudo. Aqui somos “Especialistas em cuidar de você!” Rua Menino Deus, 63 – Bloco A – Sala 319 – Centro – Florianópolis/SC

Cálculo renal: o que é, como prevenir e qual o tratamento?

As principais funções dos rins são equilibrar o volume de água no organismo e filtrar as impurezas que circulam na corrente sanguínea, produzindo a urina. O desequilíbrio na composição da urina pode resultar no desenvolvimento de pequenos cristais, que se aglomeram e formam pedrinhas. A pedrinha é o cálculo renal, uma formações endurecida que fica alojada nos rins ou nas vias urinárias.   Quais são os sintomas do cálculo renal?   De acordo com o Cirurgião Urológico do Hospital Baía Sul, Dr. Henrique Peres, quando o cálculo renal ainda está na sua fase inicial e se encontra em uma posição fixa no rim, é comum que ele seja assintomático e a pessoa nem perceba a sua existência. Quando o cálculo começa a se deslocar pelo fluxo urinário, pode causar obstruções no rim ou no ureter (canal que comunica o rim com a bexiga). O entupimento da saída da urina de um dos rins desencadeia a crise renal e os sintomas começam. O principal sinal da presença de um cálculo renal é a dor forte na região lombar que pode irradiar para frente, para a região do flanco ou para a fossa ilíaca, região próxima à virilha, de acordo com o deslocamento do cálculo pelas vias urinárias. O Dr. Henrique Peres diz que é essa dor forte, que pode provocar um mal-estar geral, calafrios e vômito, que leva a maioria dos pacientes a procurar o Pronto Atendimento.   Quais são as causas do cálculo renal?   Os principais fatores que podem influenciar no desenvolvimento dos cálculos renais são os hábitos alimentares e o consumo de água, de acordo com o Dr. Marcelo Schneider Goulart, Cirurgião Urológico especialista em cálculos renais. “Cada organismo possui características próprias em relação ao que come e à quantidade de água que ingere. Para algumas pessoas, é necessário ingerir mais água ao longo do dia, para outras o corpo não reage bem ao excesso de sal. Algumas pessoas precisam cortar alimentos que contém ácido úrico, enquanto outras precisam reduzir comidas industrializadas ou ultraprocessadas, de maneira que a formação de cálculos nos rins é um sinal de algum desequilíbrio no organismo", explica o Dr. Marcelo Schneider Goulart. Em relação à água, ela funciona como um diluidor para a urina. “Se uma pessoa toma pouca água, aumenta o risco de formação de cálculo renal, porque a urina fica mais concentrada de sais, que podem se precipitar, formar cristais e desenvolver uma pedra”, diz o Dr. Marcelo Schneider Goulart.   Como evitar a formação de cálculo renal?   A orientação básica para quem tem ou teve cálculos renais é ingerir, no mínimo, 3 litros de água por dia, mas é fundamental esclarecer que há inúmeras razões para cada indivíduo manifestar o problema. Hoje, é possível realizar uma investigação em consultório por meio da realização de exames específicos que podem apontar a origem do problema em cada pessoa. “A análise da composição física de algum cálculo eliminado, bem como o estudo do metabolismo por meio do sangue e da urina nos dão indícios do padrão de desequilíbrio que o paciente apresenta. Com isso, nós podemos saber quais os fatores causadores de cálculo mais importantes para aquela pessoa”, explica o Dr. Marcelo Schneider Goulart.   Como é o tratamento?   “O tratamento do cálculo renal vai depender do estágio em que ele se encontra”, esclarece o Dr. Edibert Melchert, Cirurgião Urológico especializado em cálculos renais há mais de 27 anos. Se a pessoa não está em crise, mas tem um distúrbio específico no metabolismo que predisponha a formação de cálculos, o tratamento é feito com medicação ou suplementação. Já em casos de crise de cólica renal, quando já existe o entupimento causado por um cálculo em algum lugar do fluxo urinário, o tratamento consiste em uma abordagem de emergência, com analgésicos para amenizar a dor. Depois, dependendo do caso, a pessoa pode ter a eliminação espontânea do cálculo ou pode necessitar de um procedimento para fragmentação do cálculo por via endoscópica com o uso do LASER. Esse procedimento é minimamente invasivo e de rápida recuperação. É importante lembrar que, mesmo em casos de eliminação espontânea, é preciso manter um acompanhamento médico, porque o fato de cessar a dor não garante que a pessoa de fato eliminou o cálculo, o que pode acabar causando prejuízos no funcionamento do rim.   Uma das características do Pronto Atendimento 24h do Baía Sul é fazer com que o atendimento e o tratamento de emergência sejam rápidos e eficazes. Quando o médico plantonista detecta o caso, a nossa equipe de urologia entra em ação e prontamente resolve o problema do paciente. Afinal, como lembra o Dr. Edibert Melchert, “a cólica renal surpreende o paciente de qualquer idade, a qualquer momento, em qualquer lugar. Por este motivo, diante dessa desagradável surpresa, é fundamental encontrar um atendimento rápido e eficaz, disponível 24 horas por dia, com capacidade de solucionar o problema de forma minimamente invasiva."

Saúde digestiva: entenda as causas e o tratamento da obesidade

A obesidade é considerada um dos principais desafios da saúde pública global, pois provoca a perda de qualidade e de tempo de vida, além de ter um impacto socioeconômico significativo, com o aumento do uso dos serviços de saúde e a diminuição da capacidade produtiva. Desde 1980, a ocorrência de obesidade vem aumentando na população mundial. A Organização Mundial da Saúde identificou, em 2015, que 5% das crianças e 12% dos adultos eram obesos. No Brasil, a estimativa é de que 54% da população tenha sobrepeso e 19% seja obeso. A obesidade está na causa central de diversas doenças, como diabetes, hipertensão arterial sistêmica, câncer, doenças osteoarticulares e doenças psiconeurológicas.   Quais são as causas e como prevenir a obesidade?   De acordo com o Cirurgião do Aparelho Digestivo do Hospital Baía Sul, Dr. Eduardo Schimidt, “a obesidade é considerada uma doença complexa na sua origem, com múltiplos fatores de risco, sendo que a maioria desses fatores são modificáveis, ou seja, possíveis de prevenção”. A piora nos hábitos alimentares e a elevação total das calorias ingeridas são os principais fatores de risco para a obesidade. Entre os maus hábitos alimentares, estão a ingestão de alimentos de fácil utilização, processados, com alto valor calórico, ricos em açúcar, sal e gordura e pobres em nutrientes. Por serem mais palatáveis, eles ganham espaço no dia a dia, muitas vezes substituindo os alimentos "in natura", pouco processados e ricos em nutrientes e fibras.   Além disso, a forma de se alimentar também influencia na qualidade da alimentação. “Comer sozinho, sentado em frente às telas, andando na rua e com pressa, pode levar a um consumo em maior quantidade e pior qualidade dos alimentos”, enfatiza o Dr. Eduardo Schimidt. Assim, manter uma dieta rica em frutas, verduras e grãos integrais e um comportamento saudável na hora das refeições, são hábitos que provocam efeitos benéficos na circunferência abdominal, diminuindo o risco de obesidade, pressão arterial, triglicerídeos e colesterol e prevenindo doenças cardiovasculares, cancerígenas e neurodegenerativas.   Como é feito o tratamento da obesidade?   O tratamento da obesidade é multidisciplinar, pois é uma doença crônica e com capacidade de recorrência. Não há cura, mas, sim, controle. O Dr. Eduardo Schimidt lembra que “o objetivo do tratamento é a perda de peso, sem parâmetros estéticos, e também prevenção e o controle das doenças associadas, atingindo uma melhor qualidade de vida com a persistência na mudança do estilo de vida”.   Esse tratamento é baseado em dietas, atividades físicas e mudanças comportamentais, e pode ser auxiliado com medicamentos específicos, sempre com recomendação, supervisão e acompanhamento médico, nutricional, psicológico e físico. Além disso, quando as medidas clínicas não resultam em perda de peso efetiva, principalmente em casos de obesidade grave ou mórbida, deve ser considerado o tratamento cirúrgico. É nesse momento que entra a linha de cuidados do projeto Excella, iniciado em 2019 no Hospital Baía Sul.    O que é o Serviço Excella?   Como explica o Dr. Eduardo Schimidt, o Serviço Excella “visa realizar a adequada seleção dos pacientes elegíveis ao tratamento cirúrgico da obesidade em todas as fases. Conta-se com uma equipe multidisciplinar, com profissionais da endocrinologia, clínica médica, nutrição, psicologia, fisioterapia, enfermagem e, por último, o cirurgião do aparelho digestivo-bariátrico. Dessa forma, busca-se, de forma completa, avaliar, selecionar, preparar, informar e conscientizar esses pacientes com obesidade sobre o tratamento cirúrgico que se pretende realizar e as perspectivas do resultado”.   O objetivo do Serviço Excella é cuidar dos pacientes, desde o período pré-operatório até o pós-operatório, incluindo o seu período de internação hospitalar, reduzindo a morbi-mortalidade do tratamento cirúrgico. A longo prazo, o objetivo desse projeto tão importante do Hospital Baía Sul é controlar a obesidade e as doenças associadas a ela, resultando na melhora da qualidade de vida e no ganho de tempo de vida para os pacientes. 

Ninguém larga a mão de ninguém!

Ação para valorizar profissionais da linha de frente da pandemia.   Gratidão, união e respeito, foram com esses objetivos que junto a grandes parceiros do Hospital Baía Sul e da Clínica Imagem, em uma corrente do bem e de união, o time de Mercado, deu início a uma grande ação chamada Ninguém Larga a Mão de Ninguém! Através das parcerias empresarias, estamos levando um pouco de carinho e atenção aos colaboradores da linha de frente, que já estão a um ano, em uma árdua batalha contra a pandemia. Mostrando assim, que agora é a nossa vez de cuidar deles.   ALGUMAS EMPRESAS QUE JÁ ESTÃO APOIANDO ESSA INICIATIVA:   A Softplan, que presenteou toda assistência, servindo um delicioso e saudável café da manhã, para começar bem o dia.   Quem também participou foi a Essential Nutrition distribuindo 400 kits para todos os profissionais na linha de frente. Esses kits continham suplementos que ajudam a fortalecer o sistema imunológico, para que eles possam realizar seu trabalho da melhor forma possível.   A Ibagy cedeu 100 deliciosos cupcakes feitos com muito carinho para todos os profissionais da ala de UTI.   Seta Engenharia, que ofereceu 170 kits de café para toda a assistência médica para ajudar a repor as energias.   [gallery ids="150,151,152,153,154,155,156,157,158,159,160,161,162"] O nosso muito obrigado a todas essas empresas que juntamente conosco uniram forças. São ações como essas que nos mantém mais unidos que nunca, que estreitam laços. Uma forma de agradecer e parabenizar todos os nossos heróis da saúde, e continuar incentivando atitudes como esta, de empatia e cuidado ao próximo. Quer contribuir com esse carinho aos profissionais da saúde? Você pode entrar em contato pelo telefone (48) 9 9827-0868. #JuntosSomosMaisFortes

1 2
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.